Como ajudar seus parceiros de negócio durante o coronavírus

Como ajudar seus parceiros de negócio durante o coronavírus

Mesmo sem sequer ter se referido ao mercado quando escreveu a música ‘Solidão’, Alceu Valença traduziu bem o que a solidão faz com empresas em momentos de crise como a do coronavírus: devora. Isso porque nenhuma organização trabalha sem parceiros, colaboradores, fornecedores e consumidores. Sendo assim, não sobrevive sozinha.

O que seria do Ifood se os restaurantes fechassem e não existirem mais entregadores nas ruas? E do Gympass, se 80% das médias e pequenas academias que formam a base de parceiros viessem à falência? Foi pensando nisso que companhias como essas estão trabalhando para somar – e sobreviver – neste momento de crise.

SOMANDO ALIMENTAÇÃO

No caso do Ifood, a medida de apoio aos restaurantes foi, nos primeiros 60 dias, oferecer ajuda monetária. Isso porque, segundo Diego Barreto, Vice-Presidente da empresa, a ajuda do governo levaria esse tempo para chegar de fato aos estabelecimentos. “Fizemos uma assistência de 50 milhões de reais em um fundo para auxiliar os restaurantes”, comenta o executivo que participou do nosso webinar ‘Covid-19: como empresas estão apoiando sua cadeia de parceiros durante a crise?’, no dia 07/05.

Aos entregadores, a companhia criou um fundo de assistência que permitia com que os parceiros que estivessem no grupo de risco ou que tivessem sintomas ficassem em casa e continuassem recebendo a remuneração média que vinham tendo na plataforma.  “Fizemos também parceria com redes médicas para que esses entregadores recebessem atendimento e estamos entregando máscaras e álcool gel a eles”, explica Diego.

SOMANDO BEM-ESTAR

Seguindo uma linha semelhante, o Gympass precisou dar apoio às 24 mil pequenas e médias academias parceiras, que hoje representam 80% da base da companhia. Assim, em um primeiro momento, a empresa realizou a antecipação de todos os recebíveis para todos os parceiros sem qualquer custo adicional e está expandindo para o universo online. “Tivemos alto nível de pausa dos planos que tivemos que pivotar novamente o modelo de negócios”, afirma Samir Zetun, Vice-Presidente de academias Brasil do Gympass.

A estratégia da empresa tem sido trabalhar com aulas online, criando uma série de novos pacotes e desenvolvendo uma plataforma inédita da marca. “A plataforma serve para garantir que, mesmo no mundo virtual, esses parceiros continuem gerando receita”, pontua Samir, que também participou do nosso webinar do dia 07/05.

Além disso, o Gympass também está oferecendo apoio para que essas pequenas e médias academias consigam fazer a transição da melhor forma. “Entendemos que não é um pacote de auxílio que resolve a solução, mas sim endereçar o comportamento correto”, menciona. Na opinião dele, entregar respostas na velocidade das mudanças atuais é complexo, mas bastante relevante.

SOMANDO TECNOLOGIA

Embora mais madura, a Intel também precisou se adaptar à crise: as prioridades são a segurança e saúde dos colaboradores e o apoio aos parceiros e clientes por meio da manutenção das operações. Além de investir 50 milhões de dólares em um fundo para pesquisas e iniciativas tecnológicas voltadas ao combate do coronavírus, a empresa assinou uma parceria com o Movimento Brasil Competitivo para apoiar o governo nesse momento e trabalhar em parceria para realizar trabalhos de saúde e sustentabilidade.

Tudo isso foi possível porque, segundo Reginaldo Rodrigues, Diretor de Distribuição e canais da Intel Brasil, a companhia já tinha precaução com situação de pandemia desde o surgimento do SARS. “Criamos um grupo interno (Pandemic Lidership Team) para tomar ações de contorno que já estavam mais ou menos desenhadas”, explica. Ainda assim, ele reforça a necessidade de ajudar parceiros que não contava com a mesma preparação: “Com todos se ajudando, nós conseguiremos passar pela crise mais fortes”.

SOMANDO O ECOSSISTEMA

Além das três companhias citadas anteriormente, o mercado conta com inúmeras iniciativas de apoio à sociedade, ao próprio ecossistema de negócios e ao poder público. A fim de juntá-las e facilitar a conexão entre elas, criamos o Movimento Soma. Na plataforma do Soma, é possível cadastrar sua iniciativa para expor como case, oferecê-la para empresas que estão procurando soluções ou oferece-la ao governo. A ideia é facilitar a ajuda e as boas ações nesse momento de crise. Clique aqui e saiba mais.

Fonte: AMCHAM Brasil. Acessado em: 20/05/2020.

Deixe uma resposta